Skip to content
top01.jpg
Home seta Home seta Notícias seta Internet seta Google compra YouTube
Google compra YouTube versão para impressão enviar por e-mail

Image O "The Wall Street Journal", já tinha noticiado o interesse do Google na compra do popular site de vídeos online, You Tube. Mas, esta terça-feira, o indexador confirmou que a aquisição do site irá concretizar-se por 1.6 mil milhões de dólares (cerca de 1.3 mil milhões de euros), mediante pagamento por acções.

Em comunicado, o Google esclareceu que o site continuará a funcionar «de uma forma independente» , conservando a sua marca própria, funcionários e escritórios na Califórnia.
O YouTube terá como missão servir de «complemento ao Google Video» . «Vamos ser parceiros naturais na oferta de um serviço estruturado de entretenimento para os utilizadores, os responsáveis pelos conteúdos e anunciantes» , referiu Eric Schmidt, chefe executivo do Google, numa nota divulgada à imprensa.

O número de acções do Google aplicadas na compra do YouTube deverá ser determinado dois dias antes da concretização do negócio, com base numa média de valores verificados nos 30 dias que antecedem a aquisição. O acordo deverá ser oficializado até ao final deste ano.

O interesse pelo You Tube prende-se com o emergente mercado de vídeo online. Nem mesmo o lançamento do Google Video conseguiu ofuscar o sucesso do You Tube que, segundo as últimas estatísticas fornecidas pela HitWise, detém 47 por cento de participação no mercado de pesquisa de vídeos online, face aos 22 por cento do MySpace e aos 11 por cento do Google Video.

Por mês, o You Tube recebe uma média de 32 milhões de internautas, sendo considerado o principal site de divulgação gratuita de vídeos na internet, desde que foi fundado em Fevereiro de 2005. Não será pois de admirar que, nos últimos meses, tenha sido alvo de sucessivas especulações de venda, isto apesar de o seu presidente, Chad Harley, ter dito por diversas vezes que a empresa não estava à venda.

De salientar que, esta segunda-feira, o You Tube aumentou o leque de oferta de conteúdo, assinando um contrato de distribuição com as editoras Universal e Sony BMG e a cadeia de televisão norte-americana CBS.
Tags: google, youtube,
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >